A descoberta da gravidez dá início a uma série de consultas e exames. Entre eles o ultrassom, que possibilita acompanhar o desenvolvimento do feto e descobrir o sexo da criança.

O ultrassom morfológico é um dos tipos do exame. Ele facilita a identificação de algumas doenças ou condições como a Síndrome de Down,  por exemplo.

Normalmente, este tipo de observação é indicada entre a 23ª e a 24ª semana de gestação. E, embora não seja obrigatória ou emergencial, é extremamente aconselhável. 

Caso haja alguma alteração, quanto antes for detectada, mais eficiente será sua solução ou controle.

O que o ultrassom morfológico detecta?

O exame aponta condições como:

• Espinha bífida

• Anencefalia

• Síndrome de Down

• Hidrocefalia

• Complicações renais

Hérnia diafragmática

• Doenças cardíacas

Além disso, confirma a idade gestacional, avalia o tamanho do bebê, e monitora os batimentos cardíacos. 

É possível também verificar as condições da placenta, do cordão umbilical e do fluxo sanguíneo das veias e artérias que levam nutrientes e oxigênio da mãe para o bebê. 

A apuração do volume do líquido amniótico e a espessura do colo uterino são outros benefícios do exame. 

Um diagnóstico precoce pode assustar, mas é fundamental para corrigir e tratar problemas que possam ser resolvidos ou atenuados ainda na vida intrauterina, garantindo mais saúde para a vida nova que está se formando.