FCA Saúde - Sua saúde sempre em 1º lugar
VOCÊ ESTÁ EM
Minas Gerais
$noticia->post_title

Amamentação: informação é a chave para o sucesso

Todo mundo sabe da importância da amamentação. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de idade, que deve permanecer até pelo menos os dois anos. E os benefícios são inúmeros: proteção do bebê a alergias e infecções, entre várias outras doenças, ajuda no desenvolvimento dos ossos e fortalece os músculos da face, contribuindo para o desenvolvimento da fala, regulando a respiração e prevenindo problemas de dentição. Algumas mamães que não podem dar o seu leite (devido a doenças crônicas, vírus do HIV, uso de medicamentos não compatíveis, entre outros motivos) devem fazer a amamentação, mesmo que com mamadeira, da forma mais próxima ao aleitamento materno.  Isso porque, a amamentação é fundamental para estreitar o vínculo entre a mãe e o bebê. Embora o ato de amamentar não seja tão fácil, a informação é o primeiro passo para o sucesso. Veja na imagem como fazer a pega correta: Observe: Barriga e tronco do bebê virados para a mãeA boca da criança deve ficar bem abertaOs lábios da criança devem ficar virados para foraQueixo deve encostar no seioNariz respira livrementeO bebê deve abocanhar a maior parte da aréola (área mais escura da mama) e não apenas o mamiloA bochecha enche enquanto suga No caso de surgiram algumas dificuldades e complicações, confira algumas dicas Para tratar rachaduras das mamas Os mamilos podem ressecar devido ao clima seco, banhos quentes, resíduos de sabão nas roupas, contato de sabonetes e produtos de cabelo nos mamilos. O que fazer? Iniciar a mamada pela mama não afetada “Pega” corretaUsar o próprio leite do peito para higieneBanho de sol durante e após a gestaçãoAmamentar livre demanda. Para tratar mastite (inflamação da mama): Sinais de mastite: mama avermelhada, dolorida, endurecida, quente (calor) e surgimento de secreção com pus. O que fazer? Compressas friasSuspender a amamentação na mama afetada somente se houver secreção com pusProcurar atendimento médico. Para tratar endurecimento das mamas Sinais de alerta: Mama pesada, endurecida, quente, aumentada e dolorida devido ao excesso de leite e/ou esvaziamento inadequado da mama. O que fazer? Compressas frias nas mamas nos intervalos para reduzir a dor e auxiliar na redução da produção de leiteFenômeno de Raynaud: no caso de palidez dos mamilos, fazer compressas mornas nos mamilos ajudam a aliviar a dor (verificar recomendação médica) e verificar a “pega” correta do bebêMedicação: somente sob indicação médica.
$noticia->post_title

Relação entre higiene bucal e cânceres de cabeça e pescoço

A má higiene da boca está diretamente relacionada com as chances de desenvolver cânceres de cabeça e pescoço. A limpeza adequada é essencial para prevenir desordens que podem se desenvolver e acarretar em diversos tipos de doenças.  A placa bacteriana, como diz o nome, é formada por bactérias e, também, restos alimentares acumulados na superfície dos dentes e na gengiva. Quando não é eliminada por meio da escovação, pode gerar problemas como cárie, doenças periodontais (causadas na gengiva e no osso de suporte dos dentes) e infecções oportunistas. Infelizmente, também é possível que tumores se desenvolvam. O câncer de boca, por exemplo, atinge cerca de 20 mil pacientes por ano no Brasil, com uma média de cinco a seis mil óbitos. É uma doença extremamente agressiva, que pode reaparecer, por isso, o diagnóstico precoce é fundamental. Algumas formas de controle e prevenção são o autoexame e a boa higiene da boca. Saiba mais sobre eles: Autoexame da boca É essencial para detectar sinais de que algo não está bem, como: Aftas e feridas que não se curamCaroço ou inchaço na bochechaMancha branca ou vermelha nas gengivas, língua, amígdalas ou mucosa da bocaSensação de ter algo preso na gargantaEnfraquecimento dos dentes ou dor ao redor dos dentesAlterações na vozPerda de pesoMau hálito constante Para realizá-lo, siga o passo a passo: Lave bem as mãos e a boca e remova próteses dentárias, se for o casoDe frente para o espelho, observe a pele do rosto e do pescoço. Veja se encontra algum sinal que não tenha notado antes Apalpe as partes externas e internas dos lábiosAfaste a bochecha para examinar a parte interna  Com a ponta do dedo indicador, percorra toda a gengiva superior e inferiorColoque o dedo indicador por baixo da língua e o polegar da mesma mão por baixo do queixo e procure palpar todo o assoalho da boca Incline a cabeça para trás e abrindo a boca o máximo possível, examine atentamente o céu da boca e apalpeObserve toda a língua e apalpe toda a sua extensãoExamine o pescoço e veja se há diferenças entre os lados esquerdo e direitoColoque o polegar por debaixo do queixo e apalpe suavemente todo o seu contorno inferior. Higiene da boca Para manter a saúde da boca é preciso:  Escovar os dentes todos os dias, após cada refeição e também uma última vez antes de dormir, utilizando uma escova de dente de tamanho adequado, com cerdas macias e creme dental com flúorComplementar a escovação passando o fio dental entre todos os dentesManter uma alimentação saudável, controlando a frequência da ingestão de alimentos doces, principalmente entre as refeiçõesTer atenção redobrada se usar aparelho ortodônticoIr ao dentista regularmente Cuide-se!
$noticia->post_title

A família está crescendo? Saiba como atenuar o ciúme do primogênito com a chegada do novo bebê

A chegada de um segundo filho ou filha mexe com toda a família, mas principalmente com o primogênito. Ele tem que lidar com novos sentimentos, dividir o afeto dos pais e isso pode desencadear uma série de reações inesperadas, comportamentos agressivos e até mesmo regressão do desenvolvimento. “É importante conversar muito com o primogênito, falar com ele e prepará-lo para a chegada do bebezinho, falar dos benefícios, que ele vai adquirir mais autonomia e que ele vai poder ajudar nos cuidados com o neném”, orienta a Psicóloga Crisdele Aparecida da Silva. Reunimos outras dicas para preparar o filho ou filha  para a chegada do novo bebê. Envolva o filho mais velho na gestação e nos cuidados com o bebê: deixe ele participar da escolha do nome, de itens do enxoval. Convide ele para conversar com o bebê e fazer carinho na barriga. Envolva ele nos cuidados, para ele se sentir importante e para estimular o sentimento de união. Relembre o momento que ele também era bebê: reveja fotos antigas, de quando ele era bebê. Isso ajuda o mais velho a se colocar no lugar do mais novo. Mostre como ele também precisava de atenção e como ele era cuidado. Não compense com presentes: a entrega de um presente com a chegada do irmão mais novo não deve representar uma compensação por uma possível culpa de dividir a atenção entre os filhos. Evite mudar a rotina do primogênito: ele já estará se adaptando a muitas mudanças com a nova chegada. Evite trazer novas interferências, como uma retirada de chupeta ou mamadeira, troca de escola, etc. A regressão é comum: voltar a fazer xixi na cama, voltar a tomar mamadeira ou outras atitudes podem ser comuns nessa fase de adaptação com a chegada do irmão ou irmã. Não repreenda com críticas, pois isso pode afetar sua autoestima. Não faça comparações: isso também pode afetar a autoestima. Sempre procure estimular a admiração mútua. Se você está na dúvida se é o momento certo de ter o segundo filho, lembre-se de avaliar a saúde física, emocional e financeira do meio familiar. A Psicóloga Crisdele lembra também de avaliar a gestão do tempo. “Devemos lembrar que a atenção entre os filhos deve ser dividida”, reforça.
Facebook Instagram Linkedin
REDE SOCIAL FCA SAÚDE
Selo ANS
Selo ANS
Onde você está?